sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Como ganhei um Iphone e uma Go Pro.


 O assunto do post de hoje será sobre sorteios e concursos culturais. Pra você que vive vendo a galera participando, compartilhando, te marcando nas redes e você só deixa passar, essa é a chance pra ficar esperto e começar a participar também!
Pra quem não sabe:

 Concurso cultural: 
 Quando é realizado uma espécie de competição onde a pessoa tem que demonstrar algo criativo (frase,texto,vídeo,foto) quanto ao tema e seguir as regras necessárias. No final, tem uma comissão que vai julgar o competidor mais criativo e esse levará o prêmio. Concurso cultural NÃO é sorteio. É muito diferente, e pra mim, sorteios são muito mais difíceis de ganhar.

 Sorteios: 
 É quando você tem que seguir algumas regras e se inscrever pra ter seu número da sorte e torcer pra ser escolhido pelo programa que faz o sorteio. Você ser bonito, escrever bem, ler, não ler, não te dá pontuação melhor ou pior pra ganhar um sorteio.


 Bem, aos meus 12 ou 13 anos eu ganhei meu primeiro concurso cultural. Era da revista Recreio (nem sei mais se eles fazem esse tipo de concursos) e então ganhei um par de ingressos pra um filme, uma blusinha e uma bolsinha de lápis. Fiquei super feliz, pensa só, ganhar coisa de graça na internet em 2010 mais ou menos. Isso só me incentivou a continuar, e desde então sempre participo de vários concursos e também sorteios.
 Ganhei um concurso da Atrevida um tempo depois, com algumas sandálias. Depois ganhei da Capricho alguns CD's. Então participei de um concurso pra ser superatrê 2011 da revista, e consegui ficar por 1 ano postando coisinhas na revista. De sorteio, só ganhei um kit de maquiagem, aquelas paletas com 180 cores do instagram.
 O prêmio mais valioso (em questão de preço) que já ganhei foi um combo de Iphone 6 com uma Go Pro Hero. Foi um concurso cultural da Rádio Jovem Pan de 2015 e eu inocentemente fiz uma frase na hora e acabaram me escolhendo. No dia da divulgação do resultado eu tava empolgada, queria muito ganhar (sinceridade né mores quem não quer?!) e então tava tomando banho e ouvindo a panzinha quando anunciam minha frase e meu nominho. Por sorte só minha irmã tava em casa que eu saí feito louca pelada correndo e gritando (ganheeeeeeeei). Pura sensação de winner.
 Assim que ganhei, a pan postou no insta deles a seguinte fotinha:

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Bullet Journal: Capa mensal de Novembro



 O assunto de hoje é o mais lindo do mundo! Pra quem ainda não conhece o Bullet Journal ou BUJO, é um tipo de agenda handmade onde você pega um caderninho qualquer (de preferência sem linhas) e você tem a liberdade de configurar sua agenda do jeito que você quiser. Pode por cores, desenhos, colagens, adesivo, plantinhas, pintura, deixar em branco, o que quiser. A ideia principal é: usar a criatividade pra criar seu próprio caderninho.


Geralmente, as pessoas configuram como se fosse uma agenda mesmo, dividindo o bloquinho em páginas semanais ou diárias e até mensais, depende. Tem BUJO com configuração só mensal, outros só diário e outros só semanal. Depende da sua rotina e do que você gosta de anotar, eu por exemplo gosto muito das separações diárias, mas como em uma página ocupa muito tempo, deixo os dias dispostos ao longo da página. 
 As inspirações pra detalhes no BUJO são várias, no instagram dá pra conseguir muitas e, claro, no pinterest também, uma boa dica de pesquisa é "hand lettering", onde dá pra você aprender letras divertidas pra colocar no seu caderninho, o importante é deixar ele com a sua cara.


domingo, 29 de outubro de 2017

Querido diário.



- Sabe o que eu queria, pequena folha de papel? Eu queria um pedaço do mundo, queria um pedacinho só pra mim, queria uma estrela na palma da minha mão e uma fatia do mar pra acompanhar. Também queria um pouco de cheiro de mãe num frasco, só pra matar a saudade. Ah, acho que mereço um pouco da lua,  será que faria falta pro resto do mundo se eu tirasse só um pedacinho?- indagava Karen ao seu diário.
 Era noite de lua cheia, havia pouca gente naquela cidade pequena, como sempre, mas já se passavam das nove, e as pessoas não saíam a essa hora, não não. A partir das nove, as pessoas acompanhavam A novela, pra no dia seguinte sentar na calçada e se intrigar do por quê a vilã sempre se dá bem, e aguardar ansiosamente pelas nove horas, pelo próximo capítulo, pelo próximo assunto. Mas Karen não gostava de novelas, ela gostava do seu diário e de imaginar como seria um amor verdadeiro. Gostava de sonhar com borboletas que poderiam rodar no estômago e de imaginar um pedaço do mundo no seu bolso.
 Naquela noite, fazia um pouco de frio, a mãe de Karen gritara que choveria, mas ela apenas ignorou, pegou a caneta e seu companheiro de papel. Partiu rumo ao quintal.
 Chegava a ser belo o modo como os olhos redondos e castanhos de Karen brilhavam enquanto ela deitada, observava cada estrela, mesmo sem saber o nome de qualquer constelação, ela observava cada uma delas, desejava-as enquanto mexia nos cabelos encaracolados de maneira maníaca, mas ainda assim doce. Karen era doce, ela era diferente de todo aquele povo e de todos os fãs de novelas. Karen só queria fazer uma vida, escrever sua própria história, nem que seja nas folhas surradas do diário que ela possuía.
 Perdida em desejo do mundo, Karen até se esqueceu do diário naquela noite e decidiu conversar com a própria consciência:
 - Sabe, sei que é errado, mas sinto inveja, sinto inveja das estrelas e de como elas podem ser oportunistas como são: aparecem só quando querem, e só quando necessitamos delas. Aparecem pra nos dar apoio e segurar as lágrimas. A humanidade sabe tão pouco sobre as estrelas que talvez nem caiba a elas o nome de "estrelas", acho que elas são mais do que isso. Cada pontinho de luz no céu escuro sabe de tudo um pouco, conhece o mundo por inteiro, e eu aqui enraizada nessa cidade, dependendo do céu pra imaginar o mundo. Cada pontinho de esperança que habita sob a minha cabeça compartilhou lágrimas, sorrisos, verdades e brincadeiras, com cada um que clamasse por companhia.
 - Talvez as estrelas também só precisem de companhia. E você também .

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Presente de aniversário da Sephora


A dica de hoje é pra quem que ganhar um mimo de aniversário da loja queridinha de todas nós que é a Sephora, apesar de ser francesa, é muito boa. 
 Pra quem não sabe, a Sephora é uma loja física e online que vende produtos de beleza em geral abrangindo principalmente marcas internacionais e os top 10 das wishlists das girls. Pra você que nunca viu, nunca ouviu falar, e já achou complicado até falar o nome tá aqui o link pra quem quiser visitar a loja online e dar uma invejada nas coisas (ou comprar pra quem tá com graninha ainda no fim do mês). 
 Então! A Sephora assim como algumas lojas online tem seu "Beauty Club" (Clube da beleza pra quem não entende) e daí que ao cadastrar nesse sistema a cada compra você acumula pontos que podem ser trocados depois por produtos na hora do checkout (eu só quero falar de ponto e coisa grátis sim, porque é disso que a gente vive). 
 Se você leu até aqui: bom sinal! Além de juntar seus pontinhos a cada 202 que você compra, dá pra pedir uma surpresinha no mês do seu niver que não é bem surpresa já que de todo mundo é igual. O que acontece é o seguinte: ao cadastrar no Beauty Club, você pode pegar seu presente numa loja física ao apresentar o CPF em 15 dias antes a 15 dias depois do seu aniversário, ou então realizar uma compra no site que na hora do checkout (não na sacola, no final mesmo) vai aparecer seu mimo todo bonito lá pra você receber de presentinho. 

domingo, 22 de outubro de 2017

Carta ao leitor.


Se eu soubesse contar histórias, escreveria um livro, eu descarrego palavras, busco conforto no desabafo silencioso de escrever e ter a ideia de que aquilo nunca possa ser lido. Eu escrevo porque sou egoísta, quero que sinta a mesma dor que me persegue, que me aproxima de mim mesma e me faz a pergunta de quem sou eu, sem que eu saiba responder. Eu descarrego palavras, na intenção de enterrá-las, me perdoe por incomodar, por usar da primeira pessoa sem ter intimidade, sem ser um autor famoso, perdoe se te chamo de leitor, perdoe ainda se te fiz chorar em algum texto oriundo, que só faz por cuspir os sentimentos de uma menina, me perdoe por compartilha-los com você. 
 Me perdoe ainda por não escrever sobre mim, e nem sobre os outros, me perdoe por escrever sobre o nada, é apenas que o nada é tão interessante quanto o frio, apesar de ser nada, ainda assim é algo, é uma desculpa, uma maquiagem, o nada não é bem entendido, se esconde atrás dessa palavra com significado errôneo, e só lhe digo uma coisa, há vezes em nossa existência em que o nada é o único aconchego, o único abraço , o único adeus abafado. 

sábado, 14 de outubro de 2017

Três sistemas pra poupar, acumular e receber dinheiro de volta! (Méliuz, Multiplus e Airbnb)



 Esse post é pras pessoas que amam comprar pela internet e querem tirar proveito disso! Vou dar dicas de alguns sistemas que ajudam na soma de pontos, a economizar e a poupar um dinheirinho na hora da compra! Pra isso vou apresentar pra vocês 2 sites importantíssimos pra quem ama comprar no e-commerce pela praticidade que é, e claro, pra quem ama cupons e afins pra sempre salvar aquela graninha de fim de mês! E um bônus pra quem quer viajar, mas a grana tá pouca: um sistema incrível pra te ajudar com essa missão!

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Plural


Talvez o mundo não passe de uma criação ínfima de um mundo colorido e perfeito, de um mundo que não exista. Talvez ao abrirmos nossos olhos, podemos ver um mundo só nosso, diferente de cada um, com cores só nossas, onde meu rosa é completamente azul, onde meu céu é completamente meu, e minha vida, completamente minha. Ninguém é obrigado a sentir a luz, mas ela brilha sem cessar, dia, noite, estando os olhos cobertos ou não. A vida é questão de percepção. Não me obrigaram a esquecer cada pedaço de caminho que tracei, e não o fiz. Mas de acordo com os fatos, percebo que eles se juntam um a um, para formar uma nova trilha, e eu não acho difícil segui-la . Na verdade quando me dou conta já estou em ilha diferente, solta, levada pelas ondas, cercada por ondas, mas as mesmas ondas que me trouxeram me levarão de volta? É fácil se perder, o foco não aceita plural, ele é pessoal, impessoal ou plural? Plural é a decisão do início daquela onda, que começou pequena, sozinha, e por força que tinha obrigou cada parte daquele mar a se juntar a ela, eu não era onda, eu não era mar, mas eu me juntei a ela, sem querer, sem julgar, fui pelo plural deixada no singular. Singular espaço de uma ilha, pequena, mas boa. Há muitos sentidos em boa, aquela areia fina era um desses.

quarta-feira, 1 de março de 2017

O que é seu corpo?






 O que é seu corpo? Essa parte quente que pulsa, te diz vivo, te faz mulher, homem, criança. O que é seu corpo? Esse meio de se expressar, de dançar quando tocam sua música favorita, de abraçar quando a saudade é sanada, de ir embora quando tudo fugir do controle. O que é seu corpo? Esse seu eu que tem que se controlar, se adequar, ser padronizado, enfeitado, ser humano. O que é ser humano? O que é ser um corpo? Na minha ponte entre entender e preferir fingir ignorância, prefiro pensar em embalagens, em refil, em algo que não vá se perder, desde que o conteúdo sempre precise ser utilizado. E ele precisa sim. Eu preciso sim. E todo mundo. Dentro de um corpo, cada pedacinho de nós somos um produto, indefinível, indistinguível, inigualável, ou quaisquer palavras que comecem com "in" que se queira dizer por hoje. Só não me venha com inocência, nós dois sabemos que tem coisas que se perdem com o tempo de uso, e essa com certeza, é uma dessas coisas.